Um porno amador no celular

O relógio batia um pouco mais de uma da manhã quando as conversas nesse porno amador iniciaram.

A princípio, assuntos rotineiros, como o trabalho, gostos pessoais, experiências, etc.

O tempo passava rápido, sinal de que o papo estava agradável.

Foi por volta das quatro da matina que o clima começou a esquentar e a conversa tomou rumos ainda mais interessantes. Excitantes, para ser mais específico, afinal, o que resultou de todo o jogo de palavras foi tão quente que será preciso mais um encontro para matar tal desejo.

Por motivos que pouco importam, eles entraram no assunto de gostos sexuais, com questionamentos sobre como cada um gostava de usar a boca durante uma trepada.

Gosta de colocar na boca

Ele se achou específico demais, dizendo que sua preferência era chupar peitos, sem importar o tamanho, e morder bundas.

porno amador
Mulher de seios explosivos

Para a surpresa do rapaz, ela foi além, detalhando, de fato, o que ela fazia:

Coloco tudo na boca, e começo a movimentar para cima e para baixo, repetidas vezes, até sentir as veias pulsarem. Subo até a cabecinha e giro para os lados, somente na cabecinha, sem tirar a boca. Engulo o pau inteiro novamente, e vou sugando até olhar nos olhos do cara. E ele perceber que eu quero mais.

Estava aproveitando bem o sexo caseiro muito gostoso.

Aquilo foi a gota d’água, a fagulha necessária para marcarem um encontro, mesmo com o dia amanhecendo, para matarem seus desejos.

Ele, com a rola pulsando de tesão; ela com a bucetinha escorrendo de vontade. Precisaram ver uns videos de porno amador pra se acalmar.

Combinaram de ele ir buscá-la, ainda sem saber para onde ir, mas uma coisa era certa: eles começariam aquele dia fodendo.

Fêmea dominadora!

Foi apenas o tempo de colocar uma roupa, e em pouco menos de vinte minutos ele já a esperava na porta de casa. Demonstrava certo nervosismo quando ela abriu a porta, sentou e apertou o cinto.

putaria caseira
Mulher de peitos grandes dando gostoso para o dotado

Olharam-se, e o cumprimento foi discreto, mas percebia-se a vontade que um tinha em comer o outro.

Não haviam definido o local, e arriscaram. Uma hora daquela da manhã, em ir para um motel, a poucos minutos dali.

Chegando na entrada, foram recebidos pelo atendente, ou seja, ainda estava funcionando. Mal viam a hora de entrar.

Vão para o quarto

Quarto 12, simples, apenas para uma transa. Ele estacionou o carro na garagem. Ela foi abrindo a porta e entrando, mal fora fechada, e o beijo quente veio estalando entre os dois.

As línguas se chupando, e as bocas sentindo o prazer ali… Tão doce e tão quente, com as mãos se esfregando entre os peitos, barriga, bunda… E não demorou muito para começarem a tirar as roupas.

Passando os lábios em todo o corpo, ela o controlou ferozmente como uma fêmea dominadora, beijando-o no peito, descendo pela barriga e atiçando-o ao lamber-lhe as virilhas.

O volume da cueca aumentou, quase explodindo, e ela ria por dentro, sabendo que estava o matando de tesão.

Com um rápido movimento, tirou toda a peça e de uma só vez, abocanhou-lhe todo o seu cacete duro até o fundo da garganta. Fazendo-o espremer-se de tão gostoso.

Ali, ela o ganhou. Afinal, se no boquete já se mostrava uma ótima performance, imagina na hora da trepada.

A gata o chupou por vários minutos. Aproveitando aquele pau duro, por completo. Com lambidas pelos lados e na cabecinha, engolidas profundas e se babando toda, deixando a piroca molhadinha.

Colocou de quatro

Então, ele a levantou, e colocou-a de quatro, abaixando sua calcinha e assumindo o controle da situação.

Era a sua vez de dar prazer, e não pensou duas vezes quando abaixou-se, e começou a chupar a moça inteira, de quatro, passando a língua na buceta que já escorria de tão molhada.

E o cuzinho, também molhado, saboroso, além de se deleitar em suas costas e pernas. Foram mais alguns minutos de uma chupação intensa, até que ela o puxou para perto da boca e disse em seu ouvido:

— Quero que você me coma!

Gritando no pau

Os detalhes da camisinha podem muito bem ser pulados, e assim que estava pronto, ele a pegou de jeito.

Encaixou o pau naquela xoxota, e no primeiro gemido da putinha, começou a foder forte e fundo, fazendo-a gritar e a cada grito a metida era ainda mais forte.

Com a bundinha empinada, ela implorava, pedia, suplicava por aquela pica entrando e saindo.

E ele, como bom homem obediente, sapecava a madeira nela de quatro, como manda a coreografia de um bom pornô amador de sexo selvagem.

Foram quase quinze minutos de puro domínio alpha. Ele a fodendo sem parar, segurando-a pelos cabelos. E ela, com as pernas quase bambas, sentindo a gozada vindo e sem ter como segurar.

Então, o jogo se inverteu, e foi a vez da safada tomar conta da transa.

Quando ela o mandou deitar, e subiu para sentir a rola por cima, rebolando de forma compassada, porém enlouquecida, domando aquela pica dura como poucas sabem fazer.

Agora sim vai dormir

A delícia se abaixava, para sentir seus peitos serem chupados por ele. O porno amador ficando cada vez melhor.

Enquanto ali atrás, subia e descia fervorosa no cacete, levando seus desejos ao limite da putaria.

Em uma dessas sessões de sobe e desce, no sexo amador e ela nem percebeu que aumentou o ritmo e a pressão de sua buceta.

E foi quando ele não pôde mais segurar. E então, outra surpresa, quando, ao pé do ouvido, ela mandou essa:

— Vai gozar e eu nem vou sentir? Quero aqui, na minha cara.

Foi quando ele tirou o pau de dentro dela, jogou a camisinha pro lado, e pediu para ela bater uma punheta até toda a porra sair.

Obediente, ela mandou sua especialidade, alternando entre boas mamadas, cuspidas, e a mão trabalhando em volta da rola, batendo uma bronha daquelas que nenhum cara esquece.

Numa dessas, ela viu que ele perdia o fôlego, e a fala. E soube ali que tava chegando a hora.

Manteve a punheta no mesmo ritmo, e sentiu o jato vindo em direção à sua face. Para matar de vez o sujeito, ela abriu a boca, deixando tudo correr ali dentro, saboreando cada gotinha.

Após essa experiência deliciosa, tomaram um banho juntos, e foram embora. Cada um para seu canto a fim de dormir.

Afinal, o dia estava só começando, e uma segunda dose de putaria caseira era questão de tempo para acontecer.